Mês do ciclo de crédito digital: como dar crédito no ecossistema educacional pós-pandemia?

Esse será o tema do terceiro webinar da série realizada pelo CMS Group, em parceria com Pravaler e apio da ABCD, marcado para o dia 20, às 12h30, com inscrição gratuita

São Paulo, maio de 2021 – Vamos falar de educação? No terceiro webinar do Mês do Ciclo de Crédito Digital, promovido pelo CMS Group, em parceria com a Pravaler e apoio da Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD), o tema será voltado para essa área: Reaprendendo a dar crédito no ecossistema educacional pós-pandemia: os desafios da sustentabilidade financeira do mercado e da conquista do jovem consumidor e acontece dia 20 de maio, das 12h30 às 13h30. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site.

Alguém tem dúvidas de que o segmento educacional foi um dos mais afetados pela pandemia desde 2020? Um ano depois do fechamento de escolas e universidades, do aumento das taxas de desemprego, retração da renda familiar e da instabilidade de cenários, o mercado de crédito educacional teve que se reinventar para evitar a evasão de estudantes e aumento nas taxas de inadimplência. A transformação do setor vai muito além da virada tecnológica pela qual todos tiveram que passar. Ela também é estratégica e de relacionamento com clientes. Entenda o futuro desse mercado fundamental ao desenvolvimento do país nesse webinar liderado por um dos maiores players de financiamento de ensino superior do Brasil.

Para falar sobre o tema, foram convidados Ana Bárbara Tavares, Head de Risco e Crédito Digital, Pravaler; Marcelo Battistella Bueno, CEO, Ânima Educação; e moderação de Elane Cortez, Diretora de Desenvolvimento Corporativo, CMS Group Brasil.

O Mês do Ciclo de Crédito Digital será transmitido pela plataforma de streaming, Credihub: web.credihub.net. As inscrições são gratuitas.

PRÓXIMO WEBINAR

Confira o próximo webinar do Mês do Ciclo de Crédito Digital, em parceria com Meireles e Freitas e apoio da Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD):

27/05 – O paradigma do 100% digital: afinal, para quem a cobrança sem mediação humana funciona?